Projetos

Principais parceiros e projetos desenvolvidos para atendimento da população beneficiada diretamente:

 

Fundação ABRINQ – Projeto Roda de Brincadeira e Aprendizado (2015): Esse projeto teve parceria financeira por 02 anos, com ações voltadas a prevenção, promoção e defesa de direitos de crianças, adolescentes e jovens vítimas de violências, apesar da parte financeira sendo finalizada em maio de 2015, a parceria técnica continua, tendo em vista que as ações serão mantidas pela instituição por outros projetos e convênios pactuados.

 

BrazilFoundantion – Projeto Protagonista em Ação (2014): Projeto que tem foco na atuação em Direitos Humanos, com olhar na prevenção e promoção de defesa de direitos de crianças e adolescentes soropositivos e vítimas de violência sexual, projeto realizado por 12 meses, com a parte financeira finalizada em julho de 2014, como o projeto foi considerado executado de forma pontual e com real impacto na realidade a que se propunha, fomos convidados via carta, para enviar novo pedido de convênio e estamos em fase de análise.

Projeto de Edu Comunicação (2013):teve a finalidade de através da Edu comunicação, trabalhar questões referentes a cultura da paz no que tange a diversas formas de violência contra crianças, adolescentes e jovens, capacitando em advocacy, direitos humanos, combate ao estigma, preconceito, morte social para soropositivos, mediação de conflitos, sempre dentro da comunicação, do protagonismo e da multiplicação de conhecimentos, para tanto, os participantes serão capacitados nos temas propostos e desenvolverão uma funpage, funzines e um DVD com todos os temas mencionados dentro de uma linguagem própria para crianças, adolescentes e jovens conversando e trocando informações e experiências entre si, tornando esta ação capaz de ser implantada com sucesso em qualquer espaço social, independente do local de origem.

Reconstruindo Vidas, Fortalecendo Vínculos (2015): O projeto beneficiava 80 adolescentes e jovens diretamente com oficinas de Oficina de cartaz ( com recorte e cola), Produção  do Banner, Oficina sobre redes sociais, Vídeo para projeto, Fotografia, Oficina sobre sexualidade

Oficina sobre DSTs, Encontros de pais, Atendimentos individuais, atendendo à demanda de cada participante e a Mediações de conflito.

Colorindo a Vida:o projeto proporcionava um espaço de sociabilidade, possibilitando a reflexão de seus problemas, na busca de soluções viáveis para si e para o grupo como um todo, desenvolvendo a arte e educação, possibilitando a troca de experiências e a aquisição de novos conhecimentos.

 

 Departamento Nacional de DST/Aids e Hepatites – Multiplicando a Cidadania (2009) e Multiplicando a Cidadania II (2010):Projeto de Advocacy que tem como principal objetivo acompanhar as políticas públicas de saúde e assistência social para crianças e adolescentes, principalmente focando nas questões de violência sexual e HIV/Aids, e acontece até hoje sem financiamento.

 Em parceria com o Departamento Nacional de DST/Aids e Hepatites Virais em conjunto com o UNODOC – Realização por 12 meses do I Seminário Ações Pela Vida, que ocorrem a cada dois anos, esse seminário tem como foco o olhar acolhedor e humanizado a Crianças, Adolescentes, Jovens, famílias, soropositivos, em suas demandas, cuidados, direitos humanos, cidadania, advocacy, para tanto, também participam cuidadores e profissionais que atuam na prevenção e promoção de saúde e direitos as pessoas soropositivas. O I Seminário contou com apoio da Caixa Econômica Federal em 2011. Em 2011 realizamos o I Seminário Ações Pela Vida, primeiro evento da região Sul (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul) que concedeu um espaço significativo para crianças a partir de 10 anos exporem suas dificuldades quanto viver e conviver com HIV/Aids ou apenas convivendo com esta patologia, bem como foi possível identificar a participação ativa dos adolescentes, jovens e adultos responsáveis pelos menores presentes e neste contexto encontrava-se famílias e instituições. Foi confeccionada I Declaração da Região Sul sobre a Importância na Participação da Família no Processo de construção da Cidadania da Criança, Adolescente e Jovem vivendo e/ou convivendo com HIV/Aidse após ser direcionada para todos os órgãos competentes nas três esferas governamentais (federal, estadual e municipal) que trabalham com o tema HIV/Aids e para todos os movimentos, ONG’s Aids, redes sociais e profissionais que trabalham com esta temática. Vale salientar, que uma das propostas que compunham a declaração foi aprovada na Conferência Nacional de Saúde e aceita por unanimidade por todos os delegados presentes e também após o evento. A Associação Fênix foi a primeira instituição da região sul do Brasil a criar um grupo de trabalho com crianças e adolescentes vivendo com HIV/Aids, denominado “Grupo Alma Jovem”, em que vem atuando com o acolhimento, políticas públicas e o protagonismo destas crianças e adolescentes.

Atualmente a Associação Fênix vem desenvolvendo o Projeto Fluido Oral (2015), que são ações de testagem e prevenção, com enfoque na ampliação do diagnóstico, por meio da realização de testagem voluntária e oportuna do HIV. A testagem utiliza o teste rápido por amostra de fluido oral em populações-chave, o público alvo da Associação Fênix são os jovens de 15 a 24 anos em situação de maior vulnerabilidade.

III Seminário Ações Pela Vida (2016): Projeto ia propiciar um amplo debate sobre as formas de atendimento às crianças, adolescentes e jovens vivendo com HIV/Aids e com Hepatites Virais, facilitando a convivência/reintegração familiar. Este projeto contempla as diferentes necessidades de saúde dos participantes e suas formas de expressão, o acesso aos serviços de saúde qualificados para a identificação das vulnerabilidades, para a atenção à saúde sexual e reprodutiva, para o acolhimento de demandas em direitos humanos, educação e promoção em saúde, assistência social, e para proteção em situações de violência.

 

Conselho Estadual do Direito da Criança e dos Adolescentes – CEDCA: Após dois anos, em 2013 realizamos em parceria com Conselho Estadual do Direito da Criança e dos Adolescentes – CEDCA o II Seminário Ações Pela Vida (2013), que tinha como objetivo continuar proporcionando um espaço a crianças e adolescentes vivendo e convivendo com HIV/Aids e esclarecer temas  atuais  que gerava ansiedade na população de crianças e adolescentes que a instituição atendia diariamente.

 

Agência de Desenvolvimento Kindernothife (KNH) / Alemanha – Políticas Públicas da Infância e Juventude– Políticas Públicas da Infância e Juventude(2014)– Esse projeto vem para atuar em fortalecimento de políticas públicas reais e impactantes na vida das crianças e adolescentes, atua com oficinas, cursos de melhoria de renda, combate a violência intrafamiliar, violência em equipamentos públicos como parques, museus, teatros e locais de grande acesso de crianças e adolescentes, trabalha com a capacitação em geração de renda, como forma de fortalecer as famílias, tirando-as da miséria ou de situações de vulnerabilidade e violência. Ocorre desde 2013 e tem sido fundamental no fortalecimento das famílias em risco.

 

Itaipu Binacional – Expandido Horizontes (2013): O projeto desenvolveu ações que promovam os direitos humanos para crianças vitimas de abuso sexual, violência doméstica e crianças vivendo e convivendo com Aids bem como suas famílias.

 Projeto Intercomunicando (2014): Este projeto visa atendimento psicossocial a crianças e adolescentes com HIV/Aids, auxiliando na revelação de diagnóstico, adesão adequada ao medicamento e ao tratamento, dando suporte psicológico a criança e ao adolescente. Neste projeto foi ampliado o Grupo Alma Jovem, que hoje conta com 38 componentes com a idade de 12 a 29 anos, trabalhando Edu comunicação, cultura de paz, protagonismo juvenil, realizam seminários e encontros em escolas, bairros e locais onde ainda fica claro a necessidade de trabalhar o autocuidado e a autoestima de pessoas soropositivas.

Bazar da Cidadania – Fortalecendo o Direito da Mulher Cidadã (2015): O projeto teve como objetivo atender criança e adolescentes vítimas de abuso sexual ou portadoras de HIV e suas famílias, oferecendo oficinas lúdicas (Saúde, meio ambiente, educacional, cultural, regras e combinados), reforços escolar, incentivo à leitura, dinâmicas de grupos e individual, atendimento psicológico individual e familiar, aconselhamento psicológico individual e em grupo, ludo terapia infantil, psicopedagoga, assistência social, fonoaudióloga, visitas domiciliares e assistência jurídica.

 

Fundação de ação social (FAS)– Ações pela Vida (2010) e Ações Pela Vida II (2015): Este projeto trabalha com atendimento a famílias que estão passando por situações conflituosas, o projeto tem atendimentos individuais e familiares, visando mediação de conflitos, com a participação de 02 especialistas em mediação, um advogado, um psicólogo e um assistente social, as famílias nos são encaminhadas pelo Conselho Tutelar, CRAS, CREAS, Vara de Família e Vara da Infância e Juventude. O projeto acontece desde 2007, financiado como subvenção social.

Expandido Horizontes (2013): Desenvolvimento de ações que promovam o protagonismo e os direitos humanos em HIV/Aids, Hepatites Virais e Tuberculose, Saúde Mental para 80 pessoas vivendo com HIV/Aids, Hepatites Virais e Tuberculose, na cidade de Curitiba/PR e Região metropolitana. Ofertando atividades em grupo para adolescentes, jovens e mulheres em advocacy, sempre buscando dar ênfase aos que moram em abrigos e na inclusão sociofamiliar.

Preparando o Futuro (2014) e Reconstruindo Vínculos (2014): visa o atendimento de crianças e adolescentes que sofreram violência sexual e ou domestica, em situação de vulnerabilidade social, econômica e pessoal, exploração do trabalho infanto-juvenil, encaminhados pelo Conselho Tutelar, CRAS, CREAS, Vara de Família e Vara da Infância e Juventude, propiciar a adaptação dos mesmos com seus familiar dessa crianças e adolescentes, bem como, efetivas melhorias na condições de vida.

Conselho Municipal da Criança de Curitiba (COMTIBA) – PACA – Programa de Atendimento a Criança e ao Adolescente:Este projeto visa atendimento psicossocial a crianças e adolescentes com HIV/AIDS, auxiliando na revelação de diagnóstico, dando suporte psicológico a criança e ao adolescente, o projeto acontece desde 2006. Hoje o projeto é desenvolvido dentro da instituição sem financiamento.

Roda de Brincadeira (2012):atendimento de crianças e adolescentes que sofreram  violência sexual e ou domestica, em situação de vulnerabilidade social, econômica e pessoal, exploração do trabalho infanto-juvenil.

 

Secretaria Estadual de Saúde – SESA/PR– Reaprendendo a Viver (2007) – Programa de atendimento a criança e ao adolescente vítima de violência sexual e ou doméstica, com foco no tratamento psicossocial, atendimento focal em grupo, com atendimento especializado ao agressor/abusador. Financiado desde 2009 pelo conselho municipal de direito da criança e do adolescente e quando finaliza, até ser avaliado e firmado novo convênio, é mantido por emenda parlamentar e parcerias empresariais.

Roda de Brincadeira e Aprendizagem (2012) – Este projeto tem como público famílias que vivem com HIV/Aids, ele visa atendimentos psicossocial em grupo e individual, grupo de adesão que além das questões da doença também tratam sobre cidadania e direitos humanos, também atende a jovens com HIV/Aids que moram em abrigos. O maior foco deste projeto são seminários anuais com intuito de interação entre profissionais da área de saúde e assistência social e as pessoas soropositivas, buscando um atendimento acolhedor e humanizado dentro das Unidades de Saúde. Contou com apoio da Itaipu Binacional para continuidade das ações em 2013.

Protagonista em Ação (2013): O projeto previa por período de 12 meses atendimentos assistencial, psicológico, fonoaudiólogo, psicopedagogo e jurídico, para 80 crianças e adolescentes vivendo com HIV/Aids, vitimas de abuso sexual, violências doméstica, vitimas da Síndrome de Alienação Parental, situação de vulnerabilidade pessoal e social.

 Em resultado ao II Seminário Ações Pela Vida, verificou-se a necessidade de trabalhar junto aos profissionais da área de Saúde, desta forma a Associação Fênix no ano de 2014 realizou um Seminário sobre Técnicas Humanizadas de Atendimentos a Crianças e Adolescentes Vivendo com HIV/Aids (2014), que fez uma capacitação de três dias a profissionais de Saúde das  22 Regionais de Saúde do Estado do Paraná, e neste espaço foi demonstrado que a criação de vínculos e o atendimento humanizado a esta população mais vulnerável resultava na adesão ao tratamento dos antiretrovirais (ARV) e a conscientização de crianças e adolescentes frente a sua patologia.

 

Secretaria de Direitos Humanos – Multiplicando a Cidadania (2012) – Projeto de Advocacy e direitos humanos que tem como principal objetivo acompanhar as políticas públicas de saúde e assistência social para crianças e adolescentes, principalmente focando nas questões de abuso sexual e HIV/Aids, com assessoria jurídica gratuita e oficinas de direitos humanos, legislação. Projeto teve início em 2012, por 12 meses e hoje é financiado através de emenda parlamentar municipal.

 

Atualmente temos 2750 famílias cadastradas e uma fila de espera com 95 famílias, nossa demanda atual vem em maior parte 70% dos conselhos Tutelares, 15% da Vara da Infância, 10% de serviços de saúde (hospitais e Unidades de saúde) e 5% de outros (espontânea, de outras organizações da sociedade civil, serviços de utilidade pública e outros).