Fênix, ong que atende crianças vítimas de violência pode fechar as portas

Texto de Michelle Stival da Rocha – Do site da Câmara Municipal de Curitiba
Fotos de Rodrigo Fonseca 

Com um deficit mensal de R$ 28 mil, a ONG Fênix Ações Pela Vida, que atende crianças e adolescentes vítimas de violência, anunciou no plenário da Câmara Municipal de Curitiba (CMC), no último dia 20, que poderá fechar as portas no próximo semestre. Na Tribuna Livre, a organização não-governamental confirmou que precisa de auxílio financeiro da sociedade para continuar atendendo.

Presidente da Associação Fênix

“Estamos buscando soluções para não fecharmos as nossas portas”, disse a presidente da ONG Fênix, Sandra Dolores de Paula Lima

“É uma causa que não podemos mais ficar quietos, não podemos mais virar o rosto e fazer de conta que não é com a gente porque é um assunto ruim: violência de criança e adolescente, conflito familiar, suicídio e automutilação”, alertou a presidente da entidade, Sandra de Paula Lima. A ONG foi convidada pelo vereador Jonny Stica (PDT) para fazer o alerta à sociedade no plenário da CMC.

“A Fênix é uma pauta da cidade, de todos os vereadores. Junto com a Apae [Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais], são instituições já reconhecidas na cidade”, justificou Stica. Para ele, os parlamentares precisam pensar “o que a Casa pode fazer para ajudar, cada um aqui tem as emendas parlamentares, mais do que isso, tem contato com a sociedade, contato com entidades que possam vir a colaborar com a Fênix”.

Sandra explicou que a ONG faz um trabalho de recuperação não só com as vítimas, mas com toda a família, além de atender as que são portadoras do vírus HIV. “Estamos buscando soluções para não fecharmos as nossas portas.” Ela reforçou o pedido do vereador por mais emendas e “que ajudem a sensibilizar a comunidade e órgãos públicos a contribuírem com a causa”.

“É importante estar neste lugar, que considero de transformação, onde o povo está aqui a todo momento, buscando uma sociedade mais justa, com mais qualidade de vida.” A gestora agradeceu o convite de Stica e alguns vereadores que já apoiam a entidade. “Hoje estou aqui pra conscientizar os presentes da situação, que é real na nossa cidade, no Brasil e no Mundo: a violência sexual de crianças e adolescentes. Que criança é essa que vamos deixar pro Mundo? Que família é essa que vai cuidar dessa criança com segurança?”, alertou.

Contas a pagar

O conselheiro Everson Talgatti sugeriu que a Câmara forme uma comissão de vereadores para auxiliar na busca de apoio

Segundo Everson Talgatti, conselheiro da ONG, com um custo total mensal de R$ 57.092,49 para manter aluguel, funcionários e despesas gerais, a entidade só consegue arrecadar R$ 29 mil e o restante (R$ 28.092,49) vira deficit. Além disso, quando estava em pleno funcionamento, tinha 23 funcionários, hoje tem 6. ”Como é que se mantém uma atividade dessa? Não consegue”, asseverou

Para o conselheiro da Fênix, é hora do Poder Público e seus representantes se engajarem. Ele sugeriu que seja formada uma comissão de vereadores para que ajudem a entidade a buscar contrapartidas dos diversos órgãos que encaminham demandas para a entidade, como Conselhos Tutelares, Ministério Público, Hospitais, Poder Judiciário, entre outros.

Além da falta de contrapartida do poder público, a ONG enfrenta o preconceito de particulares. “Quando a gente vai a uma empresa [pedir doações] e apresenta o caso de violência sexual, o que ocorre? Essa empresa não quer associar a marca dela com uma ong que está auxiliando vítimas de abuso sexual, porque ela não quer a imagem dela vinculada a isso.”

Explicou ainda que o aluguel da sede, que é financiado pelas Irmãs de Chambery, não poderá mais ser pago pela entidade. Segundo Talgatti, o Vaticano ordenou que esse dinheiro seja repassado para auxiliar imigrantes em outros países. A renda atualmente vem da Prefeitura de Curitiba, de uma empresa de sorvetes local e contribuições do Nota Paraná.


Os atendimentos
“Ao longo dos últimos 12 anos, foram em torno de 30 mil atendimentos. Só em 2018 foram 4.468 atendimentos, incluindo crianças, adolescentes e familiares. A gente realizou isso com um número muito reduzido de funcionários, sendo alguns orientadores sociais, psicólogos, a grande maioria voluntários, que agradeço, e o setor administrativo, que nos ajuda também”, detalhou a coordenadora da equipe de psicologia, Thais da Costa de Paula.

Ela contou o caso de uma adolescente com 15 anos, encaminhada pelo Conselho Tutelar, vítima de abuso sexual praticado pelo padrasto, que além disso sofria maus tratos da mãe. “Muito debilitada, pesando apenas 31 quilos, não conseguia ficar reta olhando pra mim, apenas ficava deitada no sofá e chorava”, relatou a psicóloga, que afirmou que hoje a garota está bem e já consegue frequentar a escola.

Os colaboradores da Associação Fênix reunidos

Equipe da ONG Associação Fênix acompanhou a apresentação. Junto, os vereadores Paulo Rink, Jonny Stica e Pier Pettruziello


Em um dos slides mostrados em plenário, Thais colocou uma imagem do ciclo de amadurecimento de uma borboleta e disse: “A sexualidade da criança é como o ciclo da borboleta. Se ela seguir o ciclo natural, vai voar bem. O abuso sexual é quando a gente interrompe de uma maneira bruta e violenta o ciclo da sexualidade da criança. Então nós costuramos esse casulo para que ela possa voar”. Segundo a profissional, há uma lista de 40 pessoas esperando para serem atendidas pela ONG.

As doações em dinheiro à instituições podem ser feitas por pessoas físicas ou jurídicas, por meio de depósito, boletos e parte do imposto de renda. Confira aqui como contribuir. A Associação Fênix fica na rua Augusto Stresser, 191 próxima ao estádio de futebol Couto Pereira no Alto da Glória.

Mulher não é normal ser maltratada

Não negligencie maus tratos em sua vida, não negligencie humilhações ou agressões verbais e não tolere ser tratada como alguém de menos valor

Associação Fênix violência contra a mulher

Campanha veiculada na mídia visando estimular a denúncia

A violência contra a mulher é um tema atual em debate em nossa sociedade e, infelizmente, muito recorrente na vida de tantas mulheres que estão próximas de todos nós, com estatísticas alarmantes.

As agressões podem ser físicas, sexuais e/ou psicológicas, e não são raros os casos em que estes três tipos de violência ocorram dentro de um mesmo contexto familiar.

Diante disto, a Associação Fênix promove há 12 anos um trabalho psicossocial aprofundado na temática da violência. Muitas mulheres já foram buscar atendimento psicológico a fim de conseguirem superar e lidar com as marcas físicas e psíquicas que seu companheiro deixou.

Saiba como doar seu Imposto de Renda
– Palavras da Presidente
 Ceará recebe a Fênix em evento sobre HIV

Um fato importante que pôde ser notado ao longo dos anos de atendimento a esse público, e estudos reforçam este dado, é que se trata de um ciclo de violência, uma construção social, geralmente originado em um ambiente familiar doentio, com relações de excessos. Isto é, excessos no controle do outro, excessos de ciúmes, excesso de álcool, dentre outros. De fato não é fácil romper ciclos de violência, mas é preciso dar um passo de mudança. A rede de proteção está aí para fornecer amparo e apoio a essas mulheres.

Essa semana em entrevista para a RPC a Associação Fênix falou sobre a violência contra a mulher, sendo umas das propostas de atendimento da nossa instituição, e uma de nossas atendidas prestou um depoimento emocionante, confira no link a seguir:

Confira a participação da Associação Fênix – Ações Pela Vida em matéria da RPC sobre o tema

O ciclo da violência

Depoimento de uma mulher que sofreu violência e está trabalhando isso em terapia na Associação Fênix.

Muitas destas mulheres que vivem neste ciclo de violência por seus companheiros retornam a conviver com eles, mesmo após tentativas de separação. Alguns fatores em comum mantém essas mulheres nestas relações abusivas, como o fato de manter a família unida, a dependência financeira dos parceiros, a falta de apoio da família extensa e da comunidade, alcoolismo, vulnerabilidade social, repetição de relações abusivas através de gerações, crenças, medo, ameaças, insegurança, dentre outros. Tais aspectos estão associados à dinâmica da violência contra as mulheres, o que acaba as mantendo em uma posição de desvalia e submissão aos abusos sofridos.

 

Uma carta para você, mulher:

Para você, mulher, que costuma não se perceber como alguém de valor, que tolera agressões achando que o companheiro irá mudar, ou então justificando “pequenas” violências com desculpas como “estava bêbado” ou “estressado por causa do trabalho”, que costuma também fechar os olhos para essa realidade por sofrer ameaças,

Esperança

Você merece ser cuidada e respeitada. Se permita sair desse ciclo.

medo, comodismo, estar habituada a ver isso no histórico familiar, busque ajuda, é a partir destes pequenos acontecimentos que a violência vai ganhando forças em um relacionamento, a ponto de poder chegar a um ponto extremo sem volta.

Não negligencie maus tratos em sua vida, não negligencie humilhações ou agressões verbais e não tolere ser tratada como alguém de menos valor. Você, mulher que talvez ao logo de sua história não tenha aprendido a ser amada ou cuidada, precisa buscar se reconhecer em seu valor, se permitir se redescobrir como uma mulher forte e determinada que talvez pelas marcas da vida acabou ficando adormecida. Até quando vai permanecer negligenciando suas insatisfações e viver como um barco à deriva, estagnada em seu sofrimento? Busque ajuda!

                                                                             Como mudar essa realidade?

Associação Fênix - Ações Pela Vida

A Associação Fênix trabalha com mulheres vítimas de violência visando o tratamento dos traumas

Mas e o que eu faço para romper este ciclo? Primeiramente reconheça que seu relacionamento está sendo abusivo, que não é saudável o jeito que seu companheiro lhe trata e se abra com alguém próximo e de confiança que possa lhe prestar apoio.

A partir disso tome medidas de segurança, busque ajuda especializada, vá até uma delegacia, denuncie, proteja a você e sua família, principalmente se houver crianças ou adolescentes envolvidos. Depois, é hora de cuidar de si, talvez você já saiu da zona maior de risco, mas agora precisa limpar sua casa interna, abrir os cômodos de sua vida que estão empoeirados e te fizeram permanecer por tanto tempo com uma pessoa que tinha prazer em lhe machucar, ou que se dizia arrependido, mas que sempre retornava ao mesmo erro.

Com certeza a violência deixa marcas. Às vezes irreparáveis. Mas sempre é possível recomeçar e ressignificar a sua história, assim como o sol nasce todos os dias, cada novo dia é possível lutar por você, por uma vida mais digna e feliz.

Associação Fênix

Texto de  Thaís da Costa de Paula

Psicóloga Clínica

CRP PR/ 08 22387

 

 

Bolsonaro sanciona lei da Semana da Prevenção a Gravidez na Adolescência

Sancionada lei de prevenção à gravidez na adolescência

Decreto publicado no dia 3 de janeiro assegura a inclusão da Semana Nacional de Prevenção à Gravidez na Adolescência no mês de fevereiro

Uma das leis sancionadas pelo novo presidente da República Jair Messias Bolsonaro, nessa primeira quinzena de janeiro, é um adendo a lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que instituiu o Estatuto da Criança e do Adolescente. O acréscimo ao artigo prevê a realização de ações educativas de conscientização da gravidez na adolescência, visando estimular a prevenção e trazer o tema para debate no meio em que se dá.

Saiba como doar seu Imposto de Renda
– Palavras da Presidente
 Ceará recebe a Fênix em evento sobre HIV

O decreto publicado no Diário Oficial da União no dia 3 de janeiro, determina que a semana do dia 1º de fevereiro seja a Semana Nacional de Prevenção à Gravidez na Adolescência.

Para a realização de ações educativas o poder público deve contar com as Organizações da Sociedade Civil (OSCs) e promover iniciativas educativas  e estratégias de prevenção para a gravidez na adolescência, trazendo a importante temática da gestação em idade precoce.

Confira o texto na íntegra:

Bolsonaro sanciona lei da Semana da Prevenção a Gravidez na Adolescência

Texto publicado no Diário Oficial da União relativa a Semana da Prevenção a Gravidez na Adolescência

Destinação Imposto de Renda

Saiba como doar seu Imposto de Renda

Ao preencher o formulário de Declaração do Imposto de Renda você pode destinar parte do valor recolhido para  a Associação Fênix, descubra abaixo como

Destinação Imposto de Renda

Acesse o site Infância Realizada clicando aqui, e saiba mais! A Associação Fênix está indicada tanto para o fundo da Criança e do Adolescente, quanto para o do Idoso.

Para fins de preenchimento na sua declaração de imposto de renda segue:

Fundo Municipal da Criança e o Adolescente
12.003.012/0001-59

Fundo Municipal da Pessoa Idosa
13.571.702/0001-77

Contamos com você! Nos ajude a mudar histórias.

Palavras da Presidente

Natal Fênix

Ceará recebe a Fênix em evento sobre HIV

Após participação no seminário de humanização na revelação do diagnóstico de HIV a Associação Caririense de luta contra a Aids convidou a nossa presidente Sandra para ministrar uma palestra sobre o tema em Crato

Mensão honrosa entregue à presidente da Associação Fênix

Dos dias 14 a 16 de dezembro, o município de Crato, o interior do Ceará, sediou o 5º Seminário Aids e Religiões, promovido pela Associação Caririense de luta contra a Aids. O encontro reuniu militantes da causa, organizações, pessoas vivendo e também figuras de referências de diversas religiões para atualização sobre avanços, desafios e perspectivas do HIV/Aids, certamente o diferencial do evento era que essa abordagem se dava a partir do entendimento religioso, portanto, um desafio.

A presidente Sandra Dolores de Paula Lima foi convidada a participar do evento como palestrante, apresentando o trabalho realizado pela Fênix e com o desafio de tocar o íntimo das pessoas, despertando nelas aquele cuidado e amor pelo outro.

Associação Fênis e Make Difference juntas na causa do HIV
Conheça a Sopa Solidária Fênix
Artistas fazem visita à Fênix e entrega de doações

Fênix faz palestra no Ceará

Sandra recebe uma homenagem dos coordenadores do evento

Durante sua estadia,  a presidente da Associação Fênix foi a responsável por provocar  s 80 participantes à integração, além disso, teve um momento de fala para tratar da contribuição das religiões no cuidado ao HIV/Aids.

Sandra era a única paranaense entre os participantes, que vieram de todo o país e  representou muito bem nosso estado, trabalhou a temática proposta  trazendo a importância das comunidades religiosas no início da epidemia e reafirmando o conforto que muitas pessoas vivendo buscam na religião e a importância dos líderes religiosos se abrirem para a temática e aprenderem mais sobre o HIV/Aids.

Para isso, Sandra levou um material da instituição que trabalha a questão da humanização e do nosso olhar para as pessoas, buscando promover uma reflexão sobre a nossa conduta frente ao dia a dia do trabalho com o HIV/Aids. “É comum a gente se enrijecer com a rotina. Mas não é o certo. Precisamos sempre nos colocar no lugar do outro, daquele que está fragilizado com o diagnóstico e com medo de todo o estigma que esse assunto carrega”, explica Sandra.

O início de tudo

A coordenação do evento tomou conhecimento desta oficina após a participação de um dos responsáveis, Ronildo Alves de Oliveira, no Seminário de Técnicas de Humanização para a abordagens, prevenção e revelação dos diagnósticos de HIV/Aids, hepatites virais e outras infecções sexualmente transmissíveis, promovido pela Associação Fênix, em junho de 2018.

Acima de tudo, o evento e a fala da nossa presidente visaram reforçar a importância do respeito, da luta por direitos, da fraternidade, da resiliência, da busca de dignidade as pessoas vivendo à luz de um diálogo inter-religioso.

Show de rock beneficia ong

Fênix recebe artistas do Uniandrade Rock Festival

Os músicos e o coordenador do curso de farmácia, responsáveis pelo Uniandrade Rock Festival estiveram a Fênix entregando as doações arrecadadas no show

Show de rock beneficia ong

Entrega dos alimentos arrecadados e certificado de amigo da Fênix aos envolvidos no projeto Uniandrade Rock Festival

Lembram que, divulgamos por aqui, um show realizado no início do mês de novembro? Era o Uniandrade Rock Festival, em sua terceira edição, que escolheu duas entidades para serem beneficiadas com o valor da bilheteria e as doações de alimentos não perecíveis arrecadados do show realizado pelas bandas Geração Coca-Cola e  Bon Jovi Cover Brasil, no Claymore Highway Bar.

Pois no dia 28 do mesmo mês, o professor Javier Salvador Gamarra, o farmacêutico, precursor do projeto e baterista do Bon Jovi Cover Brasil, Marcelo Grobb, e o vocalista da banda Geração Coca-cola, Jack di Pasetti visitaram a sede da Associação Fênix, no intuito de conhecer nossa casa, e realizar a entrega dos alimentos arrecadados na portaria do show.

Leia também:
Associação Fênis e Make Difference juntas na causa do HIV
Conheça a Sopa Solidária Fênix
Fênix recebe a visita de Dom Francisco

O início de tudo
O projeto foi idealizado pretendendo integrar os alunos do curso de farmácia com alguma ação social e surtiu um bom efeito. Grobb foi aluno da instituição e apresentou o projeto ao coordenador, que de pronto abraçou a ideia. Em 2018, foi realizada a terceira edição do festival, que foi um sucesso, e já surgiram novas conversas com relação a realização da quarta edição.

A Associação Fênix fica muito agradecida e honrada pela parceria estabelecida e pelos alimentos fornecidos! Desejamos um caminho de muita luz e sucesso para os envolvidos e para o projeto! Confira abaixo alguns cliques dessa ação: show e entrega!

Fênix recebe visita de Dom Francisco

Dom Francisco Cota e o Padre Alexsander Cordeiro Lopes estiveram na sede da nossa instituição para conhecer trabalho da Associação Fênix

Fenix

Da esq. Sandra, Gilvando, Pe. Alexsander, Jaqueline, Dom Francisco e Heloisa

A Associação Fênix recebeu no último dia 20, a visita de Dom Francisco acompanhado do padre Alexsander e da assistente social Jaqueline Belo, que atua na Arquidiocese de Curitiba. Na ocasião, os visitantes puderam conhecer mais sobre as temáticas de trabalho da instituição,  abrangência do mesmo, e a importância dos atendimentos realizados para toda a população de Curitiba e também Região Metropolitana que necessitam.

Durante a visita, Dom Francisco aproveitou para fazer alguns questionamentos sobre a entidade e enalteceu a importância da existência da Associação Fênix. “O mundo está em um processo bastante delicado. As famílias adoeceram”, relata o sacerdote.

Leia também:
Associação Fênis e Make Difference juntas na causa do HIV
Conheça a Sopa Solidária Fênix

O padre Alexsander também relatou o quanto tem sentido essa dificuldade de interação das famílias, e da questão da temática do abuso sexual e da falta de informação nesse aspecto. Contou um pouco das suas vivências nas comunidades que atende e das demandas que tem tido por parte dos fiéis.

Visita Dom Francisco Fênix

Momento de conversa e benção dos assistidos, da casa e dos colaboradores

Sandra Lima, presidente da Associação Fênix, diz-se lisonjeada com a importante visita na instituição. “São tempos difíceis para o terceiro setor como um todo, essa visita e reconhecimento do trabalho realizado pela Fênix é um alento e um combustível para continuar a luta pelo acolhimento humanizado e pelas pessoas em vulnerabilidade”, afirma ela.

Após a reunião, os religiosos conheceram mais a estrutura física da Associação Fênix e puderam acompanhar o trabalho realizado pelos técnicos da instituição bem como, fazer uma prece e abençoar a casa, os assistidos e os profissionais.

INSCRIÇÕES PRORROGADAS: Abuso sexual: que realidade é essa?

Workshop sobre violência sexual, promovido no dia 30 de novembro, tem prazo de inscrição prorrogado

A comissão organizadora do evento “Violência sexual: que realidade é essa?” vem por meio deste, informar que o prazo para inscrição dos participantes será prorrogado até 29 de novembro. Dessa maneira, quem ainda não garantiu seu lugar, pode aproveitar e preencher a ficha cadastral logo abaixo.

Serviço: Workshop sobre Abuso Sexual Infantil
Quando: 30 de novembro 2018
Onde: UniBrasil – Auditório  Des. Cordeiro Clève – Bloco 06 – Térreo – Rua: Konrad Adenauer, 442, Tarumã.

Veja abaixo o cronograma de atividades proposto para o dia

PROGRAMAÇÃO

12h30 Credenciamento
13h Abertura
13h10 Apresentação teatral
13h30  Att. Psicossocial: Um olhar humanizado
14h10 Att. Psicossocial: Aspecto Psicológico
14h50 Att. Psicossocial: Aspecto Jurídico
15h40 Intervalo – Coffe break
16h00 Contextualizando a violência: estudo de caso
16h40 Simulação de Atendimento
17h20 Perguntas/Encerramento

INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

As atividades se iniciam às 12h30 do dia 30 de novembro de 2018, por tanto, todos os participantes devem estar presentes neste horário para o credenciamento.
O evento tem previsão de encerramento às 19h.

Será fornecido certificação com carga horária e programação.
Quem precisar, poderá solicitar declaração de comparecimento.

INVESTIMENTO

R$ 40,00 (profissionais) + 1kg de alimento
R$ 20,00 (estudantes com comprovação de carteirinha na hora do pagamento) + 1kg de alimento


Forma de Pagamento:
Depósito em Conta

Conta: Caixa Econômica Federal – Ag: 0997 CC: 446-0  Op: 03

Associação Fênix – CNPJ: 08.403.113/0001-40

(Mandar comprovante por e-mail: eventos@fenixacoespelavida.org.br)

Dúvidas ou informações adicionais: eventos@fenixacoespelavida.org.br.

Bope visita Associação Fênix 

Uma visita um tanto quanto inusitada movimentou os corredores da Fênix essa semana

Nessa semana os corredores da Fênix foram ocupados com uma visita diferente… alguns policiais do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), após uma campanha de arrecadação de leite, visitaram a nossa casa para trazer as doações recolhidas nessa ação social da corporação.

Durante a estadia dos policiais nas dependências da Associação Fênix, os olhares atentos e curiosos logo se tornaram ações para aproximação e foi muito proveitoso. Os policiais aproveitaram a interação com as crianças para falar sobre o trabalho desenvolvido pelo BOPE, bem como, passar alguns ensinamentos para o público. Agradecemos aos comprometidos oficiais pela visita e pela doação!