Associação Fênix é beneficiada com show de rock

Evento é promovido o dia 08 de novembro pelo Claymore Bar e acadêmicos da Uniandrade

A noite da quinta-feira (8) de novembro promete!

Nessa data, o Claymore Highway Bar recebe as bandas Geração Coca-Cola e Bon Jovi Cover Brasil para shows de tirar o fôlego. Trata-se da terceira edição do Uniandrade Rock Festival, evento promovido pelos acadêmicos de farmácia da instituição, que beneficiarão duas entidades sociais com a arrecadação de alimentos não-perecíveis e participação na bilheteria.

A Associação Fênix é uma das beneficiadas com a execução do evento, por isso queremos pedir que todos que puderem compareçam ao Festival no Claymore Highway Bar, munidos de muita energia para curtir os clássicos do Bon Jovi e apoiar o trabalho desenvolvido pela Fênix!

Em breve mais informações sobre os ingressos!

Serviço:
Uniandrade Rock Festival

Dia: 08 de novembro de 2018 – Quinta-feira
Local: Claymore Highway Bar – Rod. BR-116, 17.253, Capão Raso
Horário: 20h – 1h
Atrações: Geração Coca-cola, Bon Jovi Cover, Espaço cultural Ana Paula Favaro
Preço: R$ 10 + 1kg de alimento não-perecível

Associação Fênix e Make Difference juntas na causa do HIV

No final do ano passado, a Associação Fênix recebeu uma ligação inusitada. Eram os meninos da Make Difference pedindo um horário para apresentação do projeto Qual a sua causa. Agendamos, sem compreender exatamente o que nos aguardava. No dia combinado, recebemos Lucas Yago e Gabriel Oliveira na sede da instituição para apresentação do projeto, e a identificação com a proposta foi imediata.

O relógio vermelho representa a causa do HIV/Aids

São 10 causas e 10 cores, cada uma delas representando uma das temáticas propostas. Cada causa está vinculada à uma entidade que trabalha com aquela questão. Por exemplo, o relógio vermelho representa a causa do HIV/Aids. E a Associação Fênix é a entidade selecionada para essa cor, por desenvolver um trabalho de referência com essa população.

O começo de tudo

Após um diagnóstico de câncer,  Gabriel iniciou o tratamento e começou a  pensar de que maneira ele poderia ajudar outras pessoas que passam por isso… chamou o amigo e não demorou para encontrarem um jeito. Desenvolveram um relógio, que é intercambiável, e por isso, pode ser personalizado de acordo com a vontade do cliente,  do qual 10% do valor da venda é destinado à uma instituição que trabalha  com a causa.

Leia também:
Associação Fênix desenvolve seminário de humanização no diagnóstico do HIV/Aids
Conheça a Sopa Solidária Fênix
Atendimento ao suposto autor de violência

causa hiv

Os precursores da Make Difference participando de uma das ações em parceria com a Associação Fênix

As demais temáticas nesse projeto são: o autismo, os animais, o meio ambiente, a fome, os portadores de deficiências físicas, a síndrome de Down, os idosos e o câncer de mama.  Para a presidente da Associação Fênix, é gratificante o reconhecimento do trabalho e ver as novas gerações se posicionando. “Eu sempre falo sobre a corrente do bem. E é incrível ver e partilhar com o Lucas e o Gabriel dessa linda proposta que tem tudo para dar certo”, pontua.

Neste período de desenvolvimento da plataforma da Make Difference, Lucas e Gabriel tiveram mais contato com nosso trabalho:  participaram de ações informativas, eventos promovidos nesta temática, seminários e oficinas, onde puderam conhecer um pouco das experiências de quem vive com o HIV, e também de quem é portador da Aids.

Não fique de fora! Acesse o site clicando aqui, e garanta já o seu relógio!

Presidente da Fênix fala sobre a Aids em Buenos Aires

Sandra Lima, presidente da Fênix, foi convidada para falar sobre HIV/Aids no evento promovido pela IAPAC na Argentina

No início dessa semana (13 e 14), a presidente da Associação Fênix Sandra Lima esteve em Buenos Aires participando do Workshop Regional de Cidades de via rápida na América Latina e Caribe promovido pela IAPAC (Associação Internacional de prestadores de cuidados da Aids) com objetivo de promover a aceleração das respostas locais para a Aids para atingir as metas de prevenção estipuladas pelas Nações Unidas.

Leia mais:
Conheça a Sopa Solidária Fênix
Associação Fênix promove seminário de humanização – HIV/Aids

Sandra foi convidada pela entidade para ministrar uma palestra com o tema “Determinantes sociais da saúde em relação ao HIV/Aids” para um público de outros 15 gestores envolvidos com essa temática, oriundos de vários países da América Latina.

O evento

O encontro faz parte do compromisso assumido em 2016, que visa ampliar o acesso dos portadores do HIV/Aids ao diagnóstico, ao tratamento e a supressão da carga viral, conhecida como meta 90-90-90.

Nomeado como 10 compromissos de aceleração da Resposta até 2020, essa proposta visa fortalecer o trabalho de combate a epidemia da Aids até 2030, e integra o quadro de  Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. O trabalho também envolve o combate ao estigma que de tão longa data acompanha quem se revela portador.

Para nossa presidente, este foi um evento muito importante e rico. “Estar ali e poder ouvir cada um dos gestores apresentar o trabalho desenvolvido em suas bases para atingir a meta proposta, as lutas para vencer o preconceito com relação ao HIV/Aids, e apresentar o trabalho desenvolvido pela Fênix foi uma experiência sem igual” pontua ela.

Após o fim dessa empreitada, fica o orgulho em termos sido convidados para compartilhar desse evento de aprendizado e luta, a certeza de estar no caminho certo, e o compromisso de multiplicar as informações adquiridas.

 

Conheça a Sopa Solidária Fênix

A ação é realizada pela Sorvetes Bapka  acontece na segunda semana do mês, parte da renda arrecadada é revertida para a Associação Fênix

Esse é o material usado na divulgação pelas redes sociais

Você já deve ter visto nas nossas redes sociais alguma coisa sobre a Sopa Solidária Fênix. Essa é uma das ações da entidade para arrecadar fundos e manter seu trabalho. A ação é realizada em parceria com a Sorvetes Bapka e acontece uma vez por mês, na Casa de Sopas Bapka.

A próxima edição da Sopa Solidária já tem data marcada: será na sexta-feira, 14 de setembro, na Casa de Sopas Bapka. No cardápio estão as clássicas: sopa de feijão, de legumes, mandioquinha com bacon, eslava, canja e as mais modernas, de dobradinha, vaca atolada, e toda semana um sabor de sopa diferente, como a do dia! Pra completar: canjica e abóbora no menu de pratos quentes.

As sopas tem acompanhamentos como mussarela, alho frito e cheiro verde

Em se tratando de Bapka, o sorvete não podia ficar de fora! Além das sopas, é possível desfrutar dos Buffet de sorvetes com mais de 30 sabores, e todas as guloseimas e coberturas imagináveis. E a melhor parte: tudo isso por R$ 19,80 por pessoa, e de quebra ainda ajuda a Associação Fênix!

Reserve a data na agenda, 14 de setembro, convidem seus amigos e familiares e venham desfrutar um delicioso jantar! O local dispõe de estacionamento próprio e espaço kids com monitor. Crianças até seis anos não pagam, e de 7 a 10 pagam metade do valor do Buffet.

 

Serviço: 
Sopa Solidária Fênix 
Quando: 14 de setembro
Onde: Casa de Sopas Bapka – Rod. Minérios, 3050, Abranches
Horário: das 18h às 23h
Valor: R$ 19,80 (bebidas não inclusas)

Atendimento psicológico ao Suposto Autor de violência

O objetivo não é uma investigação policial ou pericial, mas abrir um espaço de acolhimento e de escuta sem julgamento


A Associação Fênix – Ações Pela Vida é uma organização não governamental sem fins lucrativos que tem como missão principal combater a violência sexual. A instituição trabalha atendendo crianças, adolescentes e familiares que passaram por situação de abuso sexual ou qualquer outro tipo de violência e que se encontra em sofrimento. Além disso, percebe-se que o sofrimento muitas vezes não é apenas da vítima, mas sim de toda uma família que foi envolvida na situação. Neste sentido, ofertamos atendimento familiar a fim de garantir a melhor qualidade de vida para esta família.

A Fênix também trabalha com pessoas que vivem e convivem com HIV/Aids e com famílias que se encontram em conflitos, dificuldades parentais e conjugais, adolescentes que chegam com a demanda de automutilação e tentativa de suicídio. Nosso trabalho vai além da vítima ou da família envolvida, atendemos também o suposto autor de violência.

A instituição trabalha debruçada sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente bem como reza o artigo 3 e seu parágrafo único:

Art. 3º A criança e o adolescente gozam de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral de que trata esta Lei, assegurando-se-lhes, por lei ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades, a fim de lhes facultar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de liberdade e de dignidade.

Parágrafo único. Os direitos enunciados nesta Lei aplicam-se a todas as crianças e adolescentes, sem discriminação de nascimento, situação familiar, idade, sexo, raça, etnia ou cor, religião ou crença, deficiência, condição pessoal de desenvolvimento e aprendizagem, condição econômica, ambiente social, região e local de moradia ou outra condição que diferencie as pessoas, as famílias ou a comunidade em que vivem. (incluído pela Lei nº 13.257, de 2016). 

autor de violência

Trabalhar a empatia pelo outro, tanto para com o autor, como estimular esse processo nele.

O atendimento ao suposto autor de violência se caracteriza pela necessidade encontrada em não marginalizar este individuo, mas sim proporcionar a ele a oportunidade de rever suas ações, perceber seus atos e então poder elaborar sua história e possíveis traumas vividos.

O objetivo do atendimento a este público não é uma investigação policial ou pericial, mas sim de abrir um espaço de acolhimento e de escuta sem julgamento, podendo este indivíduo escolher ser ajudado ou não.

Diante disto, atender um suposto autor de violência garante a esta instituição um trabalho completo, voltado para todo o contexto familiar e social em que a criança ou adolescente está envolvido e contribui para uma sociedade mais humanizada em que não se limita a marginalizar o agressor, mas em buscar resgatá-lo deste caminho e abrir a possibilidade de reescrever uma nova história.

Por fim, cabe esclarecer que a Associação Fênix trabalha em confluência com a rede de proteção e o sistema judiciário e de maneira alguma cria obstáculos para que a justiça seja feita, trabalhando para que acima de tudo os direitos e cuidados com a criança, o adolescente e sua família sejam preservados. Nosso trabalho então busca através do atendimento psicológico abrir outras possibilidades para este indivíduo, que por vezes não enxerga outro caminho que não o qual este foi criado e acostumado a viver.

 

 Thaís da Costa de Paula
CRP 08/22387
Psicóloga
Associação Fênix

Associação Fênix promove seminário de humanização

O público alvo do evento foram gestores da área da saúde das cinco regiões do País

A comissão organizadora usou a história da ostra, que transforma sua dor em pérola, para convidar os participantes a fazerem o mesmo

Do dia 21 até 24 de junho, a equipe multidisciplinar da Associação Fênix esteve envolvida em uma tarefa um tanto quanto ousada: humanizar os gestores da área da saúde das cinco regiões do País, para a abordagens, prevenção e revelação dos diagnósticos de HIV/Aids, hepatites virais e outras infecções sexualmente transmissíveis.

O projeto, realizado por meio de edital do Departamento de Vigilância e controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, HIV/Aids e Hepatites Virais, contemplou 80 profissionais e gestores do Sistema Único de Saúde (SUS), Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e Movimentos Sociais (Redes, ONG, OSCIPS, Institutos e etc) para aprender e resgatar sua humanização no trato das pessoas que buscam atendimento para essas infecções.

Realizado no Hotel Bourbon, na região central da capital paranaense, o Seminário de Técnicas de Humanização ofertou aos participantes ao longo dos quatro dias de evento vivências, oficinas, palestras, dinâmicas e debates para que o momento fosse o mais proveitoso possível para todos os envolvidos.

“Com o passar dos anos, fomos percebendo a necessidade de trazer o cuidado da humanização proporcionando momentos em que as pessoas possam rever condutas tão automáticas” comenta Sandra, presidente da Associação Fênix. E acrescenta sua maneira de alcançar esse objetivo: “os gestores precisam se permitir retornar a um estado sem julgamento e de respeito a causa, cuidando e se permitindo ser cuidado, se observando na sua conduta profissional. Uma coisa que não abro mão no trabalho cotidiano da Fênix, ver o ser humano em sua totalidade” finaliza ela.

Os gestores precisam se permitir retornar a um estado sem julgamento e de respeito a causa, cuidando e se permitindo ser cuidado, se observando na sua conduta profissional
Sandra Lima

Para Aline Rabelo, representante de Aracaju, “Foram dias de afetos e conhecimento intensos. O evento foi lindo e cuidadoso. Me sinto grata por ter feito parte dele”, pontua. Já Jean Vinicius, jovem militante da causa no Rio de Janeiro, sentiu-se contemplado em diversos aspectos pelo seminário. “O mesmo trouxe à tona discussões importantes sobre a mobilização comunitária na resposta à epidemia. Sem dúvidas a responsabilidade com a promoção de uma discussão séria e ampla sobre saúde-raça me tocaram profundamente.” relembra.

Carlos, psicólogo da Fênix dando as boas-vindas ao evento

Bosco, um dos palestrantes do Seminário de Humanização se emociona em seu agradecimento “Muito obrigado a Sandra (presidente da Associação Fênix), pela coragem em levar essa instituição, mesmo com todas as dificuldades, manter-se viva e sonhando, e pelo carinho e acolhida. O evento foi ímpar, rico, maravilhoso.”

Em nome de toda a equipe da Associação Fênix gostaríamos de agradecer a participação e colaboração de todos os envolvidos nesse evento. É muito gratificante perceber a integração do movimento na busca de políticas mais efetivas e humanizadas no trato do HIV, aids, hepatites virais e infecções sexualmente transmissíveis.

Para ter acesso as fotos do evento clique aqui.

Faça Bonito – Proteja nossas crianças e adolescente

Com o slogan Faça Bonito – Proteja nossas crianças e adolescente, a ação convoca a sociedade para assumir a responsabilidade de prevenir e enfrentar o problema da violência sexual praticada contra crianças e adolescentes no Brasil. Desde 2009 utiliza como símbolo uma flor, como uma lembrança dos desenhos da primeira infância, além de associar a fragilidade de uma flor com a de uma criança. O desenho também tem como objetivo proporcionar maior proximidade e identificação junto à sociedade, proximidade e identificação com a causa.

 

18 de maio: A data foi escolhida como dia de mobilização contra a violência sexual porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. A proposta do “18 DE MAIO” é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes. É preciso garantir a toda criança e adolescente o direito ao desenvolvimento de sua sexualidade de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual.

Leia mais

Lista de selecionados para o “SEMINÁRIO DE TÉCNICAS DE HUMANIZAÇÃO EM ABORDAGENS” 

 

 “SEMINÁRIO DE TÉCNICAS DE HUMANIZAÇÃO EM ABORDAGENS, PREVENÇÃO E REVELAÇÕES DE DIAGNÓSTICOS DO HIV/AIDS, HEPATITES VIRAIS E INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS” 

Leia mais

SEMINÁRIO DE TÉCNICAS DE HUMANIZAÇÃO EM ABORDAGENS

Associação Fênix, 30688178_1625488370861511_2926308871150501888_nOrganização da Sociedade Civil (OSC), promove o “SEMINÁRIO DE TÉCNICAS DE HUMANIZAÇÃO EM ABORDAGENS, PREVENÇÃO E REVELAÇÕES DE DIAGNÓSTICOS DO HIV/AIDS, HEPATITES VIRAIS E INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS” nos dias 21 a 24 de junho de 2018 em Curitiba/PR.

 

O Seminário é planejado para que os participantes sejam o agente principal das discussões, criando um formato único que tem como principais objetivos garantir um espaço para a interlocução, troca e avaliação de experiências, contribuindo para que descubram possibilidades de atuação frente aos desafios locais e que possam conhecer e se articular; Sensibilizar e instrumentalizar são os pontos fortes para que participantes deste evento, dentro de uma perspectiva coletiva, busquem pela promoção, garantia e defesa de direitos humanos.

Publico Alvo: Profissional de Saúde – SUS, Gestor da Saúde – SUS, Profissional do SUAS, Gestor do SUAS e membros das Organizações de Sociedade Civil (redes, movimentos, ONG e OSCIP’s) que trabalhem a temática HIV/Aids, Hepatites Virais e Infecções Sexualmente Transmissíveis.

Inscrição até 30 de abril de 2018.

Link: http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=37696

Leia mais