Conheça a Sopa Solidária Fênix

A ação é realizada pela Sorvetes Bapka  acontece na segunda semana do mês, parte da renda arrecadada é revertida para a Associação Fênix

Esse é o material usado na divulgação pelas redes sociais

Você já deve ter visto nas nossas redes sociais alguma coisa sobre a Sopa Solidária Fênix. Essa é uma das ações da entidade para arrecadar fundos e manter seu trabalho. A ação é realizada em parceria com a Sorvetes Bapka e acontece uma vez por mês, na Casa de Sopas Bapka.

A próxima edição da Sopa Solidária já tem data marcada: será na sexta-feira, 14 de setembro, na Casa de Sopas Bapka. No cardápio estão as clássicas: sopa de feijão, de legumes, mandioquinha com bacon, eslava, canja e as mais modernas, de dobradinha, vaca atolada, e toda semana um sabor de sopa diferente, como a do dia! Pra completar: canjica e abóbora no menu de pratos quentes.

As sopas tem acompanhamentos como mussarela, alho frito e cheiro verde

Em se tratando de Bapka, o sorvete não podia ficar de fora! Além das sopas, é possível desfrutar dos Buffet de sorvetes com mais de 30 sabores, e todas as guloseimas e coberturas imagináveis. E a melhor parte: tudo isso por R$ 19,80 por pessoa, e de quebra ainda ajuda a Associação Fênix!

Reserve a data na agenda, 14 de setembro, convidem seus amigos e familiares e venham desfrutar um delicioso jantar! O local dispõe de estacionamento próprio e espaço kids com monitor. Crianças até seis anos não pagam, e de 7 a 10 pagam metade do valor do Buffet.

 

Serviço: 
Sopa Solidária Fênix 
Quando: 14 de setembro
Onde: Casa de Sopas Bapka – Rod. Minérios, 3050, Abranches
Horário: das 18h às 23h
Valor: R$ 19,80 (bebidas não inclusas)

Atendimento psicológico ao Suposto Autor de violência

O objetivo não é uma investigação policial ou pericial, mas abrir um espaço de acolhimento e de escuta sem julgamento


A Associação Fênix – Ações Pela Vida é uma organização não governamental sem fins lucrativos que tem como missão principal combater a violência sexual. A instituição trabalha atendendo crianças, adolescentes e familiares que passaram por situação de abuso sexual ou qualquer outro tipo de violência e que se encontra em sofrimento. Além disso, percebe-se que o sofrimento muitas vezes não é apenas da vítima, mas sim de toda uma família que foi envolvida na situação. Neste sentido, ofertamos atendimento familiar a fim de garantir a melhor qualidade de vida para esta família.

A Fênix também trabalha com pessoas que vivem e convivem com HIV/Aids e com famílias que se encontram em conflitos, dificuldades parentais e conjugais, adolescentes que chegam com a demanda de automutilação e tentativa de suicídio. Nosso trabalho vai além da vítima ou da família envolvida, atendemos também o suposto autor de violência.

A instituição trabalha debruçada sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente bem como reza o artigo 3 e seu parágrafo único:

Art. 3º A criança e o adolescente gozam de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral de que trata esta Lei, assegurando-se-lhes, por lei ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades, a fim de lhes facultar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de liberdade e de dignidade.

Parágrafo único. Os direitos enunciados nesta Lei aplicam-se a todas as crianças e adolescentes, sem discriminação de nascimento, situação familiar, idade, sexo, raça, etnia ou cor, religião ou crença, deficiência, condição pessoal de desenvolvimento e aprendizagem, condição econômica, ambiente social, região e local de moradia ou outra condição que diferencie as pessoas, as famílias ou a comunidade em que vivem. (incluído pela Lei nº 13.257, de 2016). 

autor de violência

Trabalhar a empatia pelo outro, tanto para com o autor, como estimular esse processo nele.

O atendimento ao suposto autor de violência se caracteriza pela necessidade encontrada em não marginalizar este individuo, mas sim proporcionar a ele a oportunidade de rever suas ações, perceber seus atos e então poder elaborar sua história e possíveis traumas vividos.

O objetivo do atendimento a este público não é uma investigação policial ou pericial, mas sim de abrir um espaço de acolhimento e de escuta sem julgamento, podendo este indivíduo escolher ser ajudado ou não.

Diante disto, atender um suposto autor de violência garante a esta instituição um trabalho completo, voltado para todo o contexto familiar e social em que a criança ou adolescente está envolvido e contribui para uma sociedade mais humanizada em que não se limita a marginalizar o agressor, mas em buscar resgatá-lo deste caminho e abrir a possibilidade de reescrever uma nova história.

Por fim, cabe esclarecer que a Associação Fênix trabalha em confluência com a rede de proteção e o sistema judiciário e de maneira alguma cria obstáculos para que a justiça seja feita, trabalhando para que acima de tudo os direitos e cuidados com a criança, o adolescente e sua família sejam preservados. Nosso trabalho então busca através do atendimento psicológico abrir outras possibilidades para este indivíduo, que por vezes não enxerga outro caminho que não o qual este foi criado e acostumado a viver.

 

 Thaís da Costa de Paula
CRP 08/22387
Psicóloga
Associação Fênix

Associação Fênix promove seminário de humanização

O público alvo do evento foram gestores da área da saúde das cinco regiões do País

A comissão organizadora usou a história da ostra, que transforma sua dor em pérola, para convidar os participantes a fazerem o mesmo

Do dia 21 até 24 de junho, a equipe multidisciplinar da Associação Fênix esteve envolvida em uma tarefa um tanto quanto ousada: humanizar os gestores da área da saúde das cinco regiões do País, para a abordagens, prevenção e revelação dos diagnósticos de HIV/Aids, hepatites virais e outras infecções sexualmente transmissíveis.

O projeto, realizado por meio de edital do Departamento de Vigilância e controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, HIV/Aids e Hepatites Virais, contemplou 80 profissionais e gestores do Sistema Único de Saúde (SUS), Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e Movimentos Sociais (Redes, ONG, OSCIPS, Institutos e etc) para aprender e resgatar sua humanização no trato das pessoas que buscam atendimento para essas infecções.

Realizado no Hotel Bourbon, na região central da capital paranaense, o Seminário de Técnicas de Humanização ofertou aos participantes ao longo dos quatro dias de evento vivências, oficinas, palestras, dinâmicas e debates para que o momento fosse o mais proveitoso possível para todos os envolvidos.

“Com o passar dos anos, fomos percebendo a necessidade de trazer o cuidado da humanização proporcionando momentos em que as pessoas possam rever condutas tão automáticas” comenta Sandra, presidente da Associação Fênix. E acrescenta sua maneira de alcançar esse objetivo: “os gestores precisam se permitir retornar a um estado sem julgamento e de respeito a causa, cuidando e se permitindo ser cuidado, se observando na sua conduta profissional. Uma coisa que não abro mão no trabalho cotidiano da Fênix, ver o ser humano em sua totalidade” finaliza ela.

Os gestores precisam se permitir retornar a um estado sem julgamento e de respeito a causa, cuidando e se permitindo ser cuidado, se observando na sua conduta profissional
Sandra Lima

Para Aline Rabelo, representante de Aracaju, “Foram dias de afetos e conhecimento intensos. O evento foi lindo e cuidadoso. Me sinto grata por ter feito parte dele”, pontua. Já Jean Vinicius, jovem militante da causa no Rio de Janeiro, sentiu-se contemplado em diversos aspectos pelo seminário. “O mesmo trouxe à tona discussões importantes sobre a mobilização comunitária na resposta à epidemia. Sem dúvidas a responsabilidade com a promoção de uma discussão séria e ampla sobre saúde-raça me tocaram profundamente.” relembra.

Carlos, psicólogo da Fênix dando as boas-vindas ao evento

Bosco, um dos palestrantes do Seminário de Humanização se emociona em seu agradecimento “Muito obrigado a Sandra (presidente da Associação Fênix), pela coragem em levar essa instituição, mesmo com todas as dificuldades, manter-se viva e sonhando, e pelo carinho e acolhida. O evento foi ímpar, rico, maravilhoso.”

Em nome de toda a equipe da Associação Fênix gostaríamos de agradecer a participação e colaboração de todos os envolvidos nesse evento. É muito gratificante perceber a integração do movimento na busca de políticas mais efetivas e humanizadas no trato do HIV, aids, hepatites virais e infecções sexualmente transmissíveis.

Para ter acesso as fotos do evento clique aqui.

Faça Bonito – Proteja nossas crianças e adolescente

Com o slogan Faça Bonito – Proteja nossas crianças e adolescente, a ação convoca a sociedade para assumir a responsabilidade de prevenir e enfrentar o problema da violência sexual praticada contra crianças e adolescentes no Brasil. Desde 2009 utiliza como símbolo uma flor, como uma lembrança dos desenhos da primeira infância, além de associar a fragilidade de uma flor com a de uma criança. O desenho também tem como objetivo proporcionar maior proximidade e identificação junto à sociedade, proximidade e identificação com a causa.

 

18 de maio: A data foi escolhida como dia de mobilização contra a violência sexual porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. A proposta do “18 DE MAIO” é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes. É preciso garantir a toda criança e adolescente o direito ao desenvolvimento de sua sexualidade de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual.

Leia mais

Lista de selecionados para o “SEMINÁRIO DE TÉCNICAS DE HUMANIZAÇÃO EM ABORDAGENS” 

 

 “SEMINÁRIO DE TÉCNICAS DE HUMANIZAÇÃO EM ABORDAGENS, PREVENÇÃO E REVELAÇÕES DE DIAGNÓSTICOS DO HIV/AIDS, HEPATITES VIRAIS E INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS” 

Leia mais

SEMINÁRIO DE TÉCNICAS DE HUMANIZAÇÃO EM ABORDAGENS

Associação Fênix, 30688178_1625488370861511_2926308871150501888_nOrganização da Sociedade Civil (OSC), promove o “SEMINÁRIO DE TÉCNICAS DE HUMANIZAÇÃO EM ABORDAGENS, PREVENÇÃO E REVELAÇÕES DE DIAGNÓSTICOS DO HIV/AIDS, HEPATITES VIRAIS E INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS” nos dias 21 a 24 de junho de 2018 em Curitiba/PR.

 

O Seminário é planejado para que os participantes sejam o agente principal das discussões, criando um formato único que tem como principais objetivos garantir um espaço para a interlocução, troca e avaliação de experiências, contribuindo para que descubram possibilidades de atuação frente aos desafios locais e que possam conhecer e se articular; Sensibilizar e instrumentalizar são os pontos fortes para que participantes deste evento, dentro de uma perspectiva coletiva, busquem pela promoção, garantia e defesa de direitos humanos.

Publico Alvo: Profissional de Saúde – SUS, Gestor da Saúde – SUS, Profissional do SUAS, Gestor do SUAS e membros das Organizações de Sociedade Civil (redes, movimentos, ONG e OSCIP’s) que trabalhem a temática HIV/Aids, Hepatites Virais e Infecções Sexualmente Transmissíveis.

Inscrição até 30 de abril de 2018.

Link: http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=37696

Leia mais

III SEMINÁRIO AÇÕES PELA VIDA – Crianças, adolescentes, jovens e familiares vivendo e convivendo com HIV/AIDS

20 a 23 julho de 2017, em Curitiba (Hotel Mabu CIC)

Este seminário é considerado um momento privilegiado de discussão, formação, articulação e integração, feito para crianças, adolescentes, jovens que vivem e convivem com HIV/Aids, com a participação de familiares e cuidadores.

O evento é planejado para que os participantes sejam o agente principal das discussões, criando um formato único que tem como principais objetivos garantir um espaço para a interlocução, troca e avaliação de experiências, visando alcançar um novo olhar com a atuação de novas pessoas que ainda não tiveram contato com o movimento e seus anceios; contribuir para que os jovens descubram possibilidades de atuação frente aos desafios locais e que possam conhecer e se articular com outros jovens; sensibilizar e instrumentalizar participantes do evento, dentro de uma perspectiva coletiva, para a promoção, garantia e defesa de direitos humanos.

 

Público Alvo: crianças, adolescentes e jovens vivendo e convivendo com HIV/Aids; familiares e cuidadores;

Leia mais

O Suicídio

Por: Psic. Luana Ribeiro de Souza CRP 08/22358 – Psicóloga na Associação Fênix

Suicidio

Há quem diga que o século 21 seria um século em que não teríamos preconceito, tabus, entre outros termos que mexem com a moral e com o social. No nosso dia a dia presenciamos tantos detalhes, que muitos deles passam despercebidos.

Você já parou pra pensar que a pessoa que está sentada ao seu lado no banco, no ônibus ou em qualquer outro local, pode estar pensando em tirar a própria vida? E se ele te contasse, o que você faria? Provavelmente daria um conselho e diria frases clichês como: “não faça isso, você é um(a) moço(a) tão bonito e jovem!”, “você sabia que tirar a própria vida é pecado?”, “que gesto covarde da sua parte, existem tantas pessoas no mundo sofrendo mais que você e nem por isso tiram suas próprias vidas!”, entre outras frases que você deve saber quais já falou. Leia mais

Personalidades recebem o Prêmio “Ações Pela Vida 2016”

No dia 27 de outubro de 2016 (quinta-feira), a Associação Fênix – Ações Pela Vida, organização não governamental sem fins lucrativos,  realizou em sua 1ª edição o Prêmio “Ações Pela Vida 2016”, lançamento do novo logo, comemoração dos dez anos e o  lançamento da campanha “Superação é RENASCER”.

No ano de 2016 a  Associação Fênix – Ações Pela vida, completa 10 anos de existência. Em comemoração aos dez anos de existência, a instituição, acredita que é fundamental valorizar pessoas/empresas que fizeram a diferença no combate à violência sexual em crianças e adolescentes junto a Associação Fênix. Acredita que ganham as pessoas beneficiadas, a sociedade e o país. Implicando na superação de desafios, na visão de perceptiva dos anseios das comunidades, na criatividade continua, na força do conjunto, na estratégia, na determinação, na sensibilidade, na vitória. Leia mais

Evento abre o projeto “Reconstruindo o Ser”

foto_1127No dia 25 de Junho, na Associação Fênix, foi realizada a abertura do projeto “Reconstruindo o Ser”, o evento contou com várias participações das Organizações da Sociedade Civil – OSC e parceiros governamentais. O evento também teve a participação da autora Fernanda Salgueiro, contando a historia de seu recém – lançado livro, “Fada de Botas e o Menino Adormecido” que é um projeto de incentivo à leitura.

O projeto “Reconstruindo o Ser” tem como objetivo resignificar os traumas lembranças causadas pelo abuso sexual infantil reduzindo os impactos psicossociais. Serão atendidas crianças de 03 até 17 anos e 11 meses, vitimas de abuso sexual que são atendidas pela associação Fênix.

Fernanda Stresser, psicóloga e coordenadora do projeto, enfatiza “O projeto Reconstruindo o Ser foi inspirado na prática profissional de atendimento com as crianças e adolescentes vitimas de violência sexual, dentro do consultório. Percebi que algumas questões eram limitadas devido ao atendimento ser individual, como a socialização e a cooperação. Serão encaminhados para o grupo crianças e adolescentes em acompanhamento psicológico, junto com a avaliação do terapeuta apto a fazer atendimento em grupo. O atendimento em grupo busca reduzir o número na fila de espera, serão utilizadas metodologias como: a arte educação, trabalhar as sensações corporais, o subjetivo de cada individuo; e os jogos cooperativos: trabalhar a socialização tanto com os pares, as regras, a sociedade e sua relação com o mundo”. Leia mais